Um espaço de ideias e partilha para todos os que amam o mar.
Segunda-feira, 26 de Maio de 2014
Nós de marinheiro

Os nós são entrelaçamentos feitos à mão, emendando cabos pelos chicotes, pelos seios ou um chicote a uma alça. Antigamente, todos os marinheiros eram treinados para saberem todos os truques e segredos dos nós e cabos, pois era um conhecimento extremamente importante, independentemente do cargo que ele ocupava no navio, pois se existe-se algum problema a bordo, qualquer um o poderia solucionar. Hoje em dia, não são todos que conhecem a arte de marinheiro e muito menos os que sabem executá-la. O nó mais antigo que se conhece foi descoberto em 1923 numa turfeira na Finlândia e cientificamente datado de 7.200 AC. Também se sabe que os antigos Gregos, Egípcios e Romanos usavam nós com alguma complexidade nas construções de edifícios, pontes e fortificações pelo que não é lícito julgar que apenas os marinheiros são detentores desta arte. No que respeita ao seu uso na marinha existem registos escritos pelo menos desde o séc.XVII, mas desenhos e figuras mostram que o seu uso é muito anterior a este período. Há centenas de tipos diferentes de voltas e nós que podem ser usados a bordo. Deve o nauta conhecer alguns deles que podem vir a ser de extrema utilidade a bordo: Nó Direito - serve para unir dois cabos de bitola (diâmetro) igual. O Nó Direito é útil para amarrar a vela grande na operação de rizar; Nó de 8 - Este nó é útil como um nó terminal, aplicado na ponta das escotas e adriças para evitar que elas escapem através dos olhais ou passadouros. Tem um aspeto semelhante a um 8; Lais de Guia - considerado o rei dos nós, é usado fazer uma laçada no chicote de um cabo. É usado para colocar as adriças no punho da pena das velas, amarração em argolas e até para unir cabos. Um Lais de Guia feito corretamente é muito seguro e fácil de desfazer; Volta do Fiel - este nó é usado para amarrar um cabo a um ponto sólido, como um poste num cais. O seu principal uso a bordo é para segurar as defensas aos varandins; Nó de Escota - este nó é usado para unir dois cabos de bitolas diferentes. Quando for usado com cabos de diâmetros muito diferentes devemos dar um cote adicional, transformando-o em nó de escota dobrado. Conhecer bem os nós pode resolver uma série de problemas do dia-a-dia de quem está a bordo ou mesmo em terra. 

Back estai - Cabo de aço estendido entre a popa e o topo do mastro que impede o seu movimento para frente.


tags:

publicado por cartasdemarear às 20:25
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
14

16
18
20

22
23
24
25
26
27
28

29
30


posts recentes

O astrolábio

Desidratação a bordo – co...

Diário de Bordo - Parte I...

Diário de Bordo - Parte I

Superstições, mitos e len...

Superstições, mitos e len...

Dez Mandamentos a bordo

Cuidados a ter quando nav...

20 Itens a verificar ante...

20 Itens a verificar ante...

arquivos

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

tags

água

âncora; ferro

anti vegetativa

astrolábio

bandeira nacional

bomba

bordo

bússola

cartografia

casco

casco;naútica

desidratação

diário

documentação

embarcação; proa; vante

enjoo

erros

fibra de vidro

gasolina; diesel; bombordo

gps

hélice

lavagem

leme

madeira

madeira; metal; fibra.

mandamentos

mar; febre

mofo

molinetes

noite

nós

pintura

popa; ré

resiliência

resina

sereias

size matters

superstições

vela; motor

zinco

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds
Em destaque no SAPO Blogs
pub